Copa de 94

Vitória na Copa de 94

 

“Vai que é sua Taffarel. Partiu, bateu. Acaboooooou, Acaboooooou. É tetra! É tetra!”

Anos 90. Depois de um jejum de 24 anos o Brasil era novamente campeão mundial de futebol. Sim, a maneira como a Seleção que o técnico Carlos Alberto Parreira armou não agradava todo mundo. Não teve o futebol mágico de anos anteriores. Era o futebol do esquema tático, da marcação, o futebol do fim que justifica os meios. E justificou. Gostando ou não,  foi essa a Seleção, comandada pelo capitão Dunga, que nos deu o tetra campeonato.

Mesmo assim tivemos nossos momentos. Devido, principalmente, ao “Baixinho”, o atacante Romário, que prometeu trazer a taça e trouxe. Acompanhado no ataque por Bebeto que, junto com Romário, fez toda a diferença na Copa de 94. Bebeto, aliás, fez uma comemoração após o gol contra a Holanda homenageando o filho recém-nascido. Quem não lembra?]

Bebeto comemora o gol

E falando em Holanda, este com certeza foi um dos jogos mais emocionantes para o Brasil. Terminado o primeiro tempo em zero a zero, o Brasil abre dois gols no segundo tempo. Parecia que o jogo estava ganho, mas aí a Holanda empata. O jogo valia a vaga para a semi-final. Falta para o Brasil. Aos trinta e cinco minutos o lateral esquerdo Branco bate uma bomba do meio da rua e dá a vitória ao Brasil. Inesquecível.

Outro momento que ficou marcado foi o caso Maradona. Flagrado no antidoping, Dom Dieguito foi expulso da competição. Um vexame. A Argentina que vinha em uma ótima campanha acabou perdendo o rumo com a saída de seu principal jogador e foi eliminada nas oitavas de final.

Mas o momento glorioso ficou mesmo com a final. Depois de um jogo inteiro e uma prorrogação no zero a zero, com jogadores exaustos, a final foi decidida pela primeira vez nos pênaltis. Mais dramática impossível.

Com pênaltis perdidos de ambos os lados, a decisão fica no pé do atacante Baggio, que para felicidade geral da nação brasileira chuta a bola longe. Brasil Tetra Campeão Mundial de Futebol. Jogadores e comissão técnica invadem o campo, Galvão aos gritos de “é tetra” pulando abraçado de Pelé e Arnaldo, tudo isso ao fundo do tema da vitória de Ayrton Senna.  Não dá pra esquecer.